sábado, 25 de agosto de 2012




Quando canso do silêncio da casa,

faço versos pra te encontrar.

Escondo solidão em palavras soltas,

solto-as no ar!



Imagem, aquarela de Marlene Edir
Publicado no meu livro "Além do Quintal, poemas e aquarelas", abril de 2011

5 comentários:

  1. O poema é um pássaro que voa alto e longe, Marlene. Que chegue ao seu destino.
    Beijos,

    ResponderExcluir
  2. Um poema simples e esbelto!

    Saudações poéticas

    ResponderExcluir
  3. Silêncios incômodos
    fazem-me buscar
    cantos da casa, do
    quintal, onde a brisa
    amena revela teus olhos.
    Não são mais incômodos
    aqueles silêncios.
    Encontrei nos teus olhos
    a paz...

    ResponderExcluir
  4. Por onde andas? Por que o silêncio? Trás de volta teu olhar, teu sorriso, tu arte. Escreve. Eu preciso...

    ResponderExcluir